cultura data-driven

Cultura data-driven e a gestão estratégica de negócios

5 de outubro de 2022

“Big data” e “analytics” são conceitos cada vez mais comuns dentro do universo corporativo e vêm ajudando as empresas a se tornarem mais inteligentes e melhores em suas análises preditivas. Como aproveitar esse potencial e se beneficiar da cultura data-driven? E o que a gestão de impostos tem a ver com uma cultura orientada por dados?

É inegável o poder dos dados para as corporações. A maior parte dos gestores reconhece que o uso inteligente de dados e análises geram oportunidades de negócios e vantagem competitiva, uma vez que tornam a tomada de decisões mais assertiva. 

No entanto, usar dados de forma estratégica e construir uma cultura data-driven ainda são desafios. Afinal, o que mais importa não é o volume de dados, mas sim saber como usá-los. Isso perpassa por definir uma estratégia para uso dos dados, investir em tecnologia, engajar as pessoas, reinventar processos e mudar o comportamento organizacional. 

Um artigo publicado na University of Nevada sobre a cultura data-driven revela que as organizações estão adotando uma cultura orientada por dados para evitar ficar para trás de concorrentes e colher resultados, já que os dados vêm impactando e transformando mercados. Um relatório da Forrester afirma que essas empresas “estão crescendo, em média, mais de 30% ao ano”.

Mas afinal, o que significa ter uma cultura data-driven? Como se beneficiar dela? E o que a gestão de impostos tem a ver com uma cultura orientada por dados? 

Continue a leitura e confira todas essas respostas! 

Cultura data-driven: o que é?

Cultura data-driven é aquela que abraça o uso de dados para apoiar a tomada de decisões e obter insights de negócios que levam a melhorias. Significa utilizar dados e tecnologia para gerar vantagem competitiva.

Basear o planejamento estratégico e as decisões em análise de dados torna o processo decisório mais objetivo e otimiza a gestão dos negócios. Significa substituir especulações por informações e evidências empíricas, tornando possível identificar novas oportunidades de negócios, atender melhor os clientes, aumentar as vendas, melhorar as operações, dentre outros benefícios.

Líderes em organizações que possuem cultura data-driven podem sim ter o que chamamos de “feeling” e ouvir seus “instintos”, mas as ações são conduzidas com base no que os dados revelam.

Cultura data-driven: os 3 pilares fundamentais

Empresas que incorporam a cultura data-driven usam os dados de forma integrada, englobando diferentes unidades de negócio, processos e operações. Isso requer o uso de tecnologia: sistemas capazes de coletar, organizar e centralizar dados – em nuvem, geralmente – para que as pessoas de dentro da organização tenham acesso a informações que necessitam, quando necessitam. 

Os resultados ocorrem em função da inteligência coletiva e na gestão da informação, o que promove agilidade na rotina empresarial.

Ou seja, são três os pilares que sustentam uma cultura data-driven: pessoas, dados e tecnologia. Entenda.

Pessoas

Sem envolver as pessoas, nenhuma transformação pode acontecer. E, para envolver as pessoas, é importante contar com profissionais especializados em análise de dados – por exemplo, um Chief Data Officer (CDO) – que sejam protagonistas das mudanças organizacionais  e promovam um mindset data-driven. 

As lideranças devem não apenas incorporar e disseminar a cultura data-driven, mas especialmente, liderar a transformação de uma cultura organizacional tradicional para uma cultura orientada a dados.

Dados

Sem dados não existe cultura data-driven. Os dados devem ser sistematizados, acessíveis e integrados, para permitir que as ferramentas e os profissionais consigam extrair o máximo  do que foi coletado.

Tecnologia

Tecnologia é um dos pilares de uma cultura data-driven. São os computadores e sistemas que garantem dados sistematizados, acessíveis e integrados.

Atualmente, os programas de BI (Business Intelligence), CRM, vendas, gestão de tributos e muitos outros já fazem parte da rotina da maioria das empresas de médio e grande portes. Empresas que têm uma cultura data-driven usam a tecnologia para integrar os dados e informações mais importantes de todos esses sistemas, de forma a embasar a tomada de decisões. 

Como a cultura data-driven se aplica em diferentes áreas da empresa

Marketing

Atualmente, já existe o Data Driven Marketing, ou seja, a gestão de marketing orientada por dados. Existem inúmeras ferramentas para isso:

  • Google Analytics e Google Data Studio;
  • Ferramentas de automação;
  • CRM;
  • Entre outros.

Usando tecnologia, a empresa pode planejar ações e tomar decisões com base em análises de dados. Além disso, pode adotar soluções com dashboards que apresentem informações integradas de forma clara e eficiente, para gerar mais inteligência de mercado.

Vendas

Promover a cultura data-driven no setor de vendas significa:

  • Utilizar dados do setor de marketing para entender melhor as demandas do mercado e dos clientes, conduzir ações comerciais mais assertivas e fazer ofertas personalizadas; 
  • Alimentar o setor de marketing com informações que gerem insights estratégicos e melhorias;
  • Desenhar um processo que integre as vendas aos sistemas financeiro, fiscal e/ou de gestão de impostos;
  • Integrar o pipeline de vendas a um CRM, promovendo uma melhor experiência para os clientes e potenciais clientes.

Financeiro

O setor financeiro desempenha um papel estratégico e vital para os negócios. Todas as áreas e operações de uma empresa geram impacto financeiro. Por sua vez, a gestão financeira também impacta todas as áreas.  

Sendo assim, dados e análises são essenciais para a gestão financeira. É por meio deles que os gestores podem embasar suas decisões e nortear suas ações, auxiliando na projeção de cenários, antecipação de tendências e gestão de recursos para manter a empresa viva e saudável.

Gestão de impostos

A gestão de impostos merece a mesma relevância atribuída às demais áreas chaves de qualquer negócio, como vendas ou marketing. A área de tributos é um núcleo fundamental do negócio, e geri-la a partir de uma cultura data-driven pode tornar as organizações competitivamente muito superiores.

Assim, incorporar a cultura data-driven na gestão de impostos possibilita a geração de insights estratégicos para solucionar problemas de negócio relacionados a tributos. Usar conceitos e ferramentas de ciência de dados viabiliza um programa de melhoria contínua nestes processos.

Mas sabemos que este é um desafio. Entenda por que é tão difícil fazer gestão de tributos com base em dados.

Cultura data-driven: apoio na tomada de decisão estratégica

É possível usar dados de diferentes maneiras e em diversas funções de negócios dentro das organizações. Desde otimizar as operações até impulsionar as vendas, a tomada de decisões orientada por dados oferece muitas vantagens para as empresas que cultivam uma cultura data-driven. Confira alguns exemplos:

  • Melhoria no atendimento aos clientes

As organizações podem usar dados para identificar as preferências de seus públicos e atender às suas necessidades de forma mais efetiva. No centro de suporte e de atendimento ao consumidor, por exemplo, os dados auxiliam no aprendizado de maneiras mais econômicas e eficientes de abordar as dores do cliente, reduzindo o tempo de resolução de problemas e melhorando a experiência.

  • Identificação de novas oportunidades de negócios

Os dados podem revelar insights que ajudam as empresas a criar novas fontes de receita e/ou desenvolver novos produtos e serviços que atendam às demandas e carências do mercado, promovendo inovação. 

  • Aumento das vendas e melhoria nos processos

Toda empresa deseja aumentar seu faturamento e maximizar lucros. Em um mercado altamente competitivo e global, operar com base em dados é uma forma crucial de identificar oportunidades e traduzi-las em fontes concretas de receita. 

  • Geração de vantagem competitiva

Dados e análises ajudam as organizações a responder às mudanças no mercado de forma mais ágil. Ao aproveitar a análise de dados, as empresas data-driven podem prever tendências futuras, projetar cenários, identificar comportamentos do consumidor e detectar novas oportunidades de negócios mais rapidamente, criando o potencial para obtenção de vantagem competitiva.

Gestão de impostos baseada em dados

Aqui na Nutax Digital, nosso propósito é viabilizar o acesso à gestão de impostos com base em dados, pois acreditamos que empoderar o time de Gestão de Impostos com tecnologia, dados e conhecimento é o caminho para se obter a melhor performance, a menor carga tributária e o compliance ideal.

Juntamos nossa experiência como gestores e consultores fiscais em empresas de vários tamanhos e segmentos, com o mindset da cultura ágil, do design thinking e da gestão baseada em dados para propor soluções rápidas e aderentes, com foco na experiência do usuário.

Conheça nossa abordagem para a Gestão de Impostos baseada em uma cultura data-driven, e se ainda tiver alguma dúvida, entre em contato para saber mais!

Compartilhe: